Rede Latino Americana

MARCO REFERENCIAL DA REDE LATINO-AMERICANA DE CENTROS E INSTITUTOS DE JUVENTUDE

 

1. INTRODUÇÃO

Falar em rede traz à mente várias imagens: a rede usada para pescar e, em outros lugares, também para carregar alimentos; a rede que dá repouso ao corpo e o fortalece para a vida; e a rede que dá forma à teia da aranha.

A partir destas imagens, pode-se pensar que as redes são construídas a partir de pontos ligados entre si sem hierarquia, com características comuns. E, assim, a idéia de organização em rede é oposta a uma organização piramidal: o que prevalece é a questão horizontal, onde todos/as são iguais e estão unidos por elos fortes que asseguram a união do todo. As redes são espaços de intercâmbio de experiências. São referências de Organização com linhas de ação que se encontram em um caminho de reflexão e elaboração de propostas.

A organização em rede permite a livre circulação de idéias, como as gotículas de orvalho que circulam pelos fios da teia de aranha. A rede permite movimento mas, ao mesmo tempo, está segura e sustentada, aberta e transparente. Cada fio está ligado ao ponto central e, assim, cada ponto influi no todo e é, ao mesmo tempo, interdependente. Quando um se rompe, a rede perde a força.

No mundo de hoje, existem centenas de redes, desde a internet até organizações governamentais ou de grupos contra a vida, como a rede de tráfico. As redes, de modo geral, têm um traço comum: criam laços que possibilitam maior interferência na sociedade e transformação das forças que atuam sobre ela. Este é também o objetivo da Rede Latino-americana de Centros e Institutos de Juventude.

 

2. A REDE LATINO-AMERICANA DE CENTROS E INSTITUTOS DE PASTORAL DA JUVENTUDE

A Rede Latino-americana de Centros e Institutos de Pastoral da Juventude está intimamente ligada à opção da Igreja latino-americana pela juventude, marcada em Puebla e Medellín, quando se deu toda uma dinamicidade à evangelização da juventude, o que levou ao surgimento da Pastoral da Juventude.

À medida que a Pastoral da Juventude firmava suas bases, grupos e congregações se juntaram para qualificar melhor a ação evangelizadora desenvolvida junto à juventude, o que deu origem a casas e centros de juventude por toda a América Latina. Estas organizações se colocaram a serviço da reflexão e da construção das opções pedagógicas que orientariam o Processo de Educação da Fé da Pastoral da Juventude Latino-americana e, desta forma, se organizaram para ser estruturas de apoio direto à ação da PJ.

Os/as assessores/as nacionais, regionais e diocesanos, muitos deles ligados às Casas e Centros de Juventude, participavam dos encontros latino-americanos da PJ e, nestes, trocavam informalmente experiências de atuação junto à juventude.

Dois deles, Jorge Boran e Tere Lanzagorta, num encontro no México em 1990, dialogaram sobre a necessidade de realizar um encontro com representantes de Institutos que trabalhavam no serviço à juventude e, juntos, convocaram um primeiro encontro com as instituições que eles conheciam. A partir deste momento, surgia então a Rede Latino-americana de Centros e Institutos de Pastoral da Juventude. O primeiro encontro aconteceu em setembro de 1991, em São Paulo, onde foram traçados as primeiras linhas, objetivos e acordos da Rede.

Desde o seu início, os encontros da Rede se tornaram espaços de reflexão sobre temas e desafios relacionados ao serviço prestado pelos Centros e Institutos às organizações de juventude. A atuação em Rede foi fundamental para que os Centros e Institutos se tornassem referência de aprofundamento e vanguarda para a Igreja e para a Pastoral da Juventude Latino-americanas, na busca de caminhos que possibilitem à juventude a vivência de uma formação integral e processual. Em seus princípios e linhas de atuação, a Rede se constitui, desde então, como um serviço à Pastoral da Juventude da América Latina.

 

3. OBJETIVOS DA REDE

1.                  Ser uma presença qualificada e profética junto ao serviço da evangelização da juventude: Pastoral da Juventude, Pastoral da Juventude Rural, Pastoral da Juventude Estudantil, Pastoral da Juventude do Meio Popular, Pastoral Indígena, Pastoral de Adolescentes, Pastoral de situações críticas;

2.                  Atuar em rede para a formação, assessoria e pesquisa do mundo dos adolescentes e jovens da América Latina, escutando suas angústias, necessidades e demandas, pontuando respostas, oferecendo metodologia, formação e subsídios sem substituir o protagonismo juvenil ou interferir em sua organização;

3.                  Favorecer o intercâmbio de experiências de formação e materiais entre os Centros e Institutos, criando metodologias que fundamentem e integrem a caminhada, superem o isolamento, ampliem relações e fortaleçam a evangelização e a Pastoral da Juventude libertadora, sempre situadas no contexto nas mudanças culturais da realidade da juventude empobrecida latino-americana.

 

4. PRINCÍPIOS DE ATUAÇÃO DA REDE

·                                 Fortalecer a identidade latino-americana dos Centros e Institutos de Juventude e a linha comum de trabalho;

·                                 Gerar processos metodológicos que possibilitem a formação de multiplicadores;

·                                 Fortalecer a opção pelos jovens empobrecidos;

·                                 Propiciar o empoderamento dos adolescentes e jovens e suas organizações;

·                                 Apoiar a Pastoral da Juventude Latino-americana em consonância com as exigências da Conferência Episcopal de cada país e do CELAM;

·                                 Atuar de forma profética ante as realidades sócio-políticas e eclesiais que não estão de acordo com a proposta latino-americana de PJ;

·                                 Respeitar as diferenças culturais, particularidades e especificidades de cada Centro e Instituto;

·                                 Propor critérios aos centros pertencentes à Rede, através de orientações gerais e linhas de ação;

·                                 Encontrar-se a cada dois anos, preferencialmente na segunda quinzena de setembro, para reflexão, troca de experiências e encaminhamentos da Rede.

 

5. ATUAÇÃO DA REDE

 

Com os Centros e Institutos de Pastoral da Juventude

 

·                                 Assessoria de atividades e cursos entre os centros;

·                                 Produção de subsídios e materiais em conjunto, sempre que possível divulgando a logomarca da Rede;

·                                 Partilha e intercâmbio de informações, materiais, experiências e assessores/as, a partir das carências e riquezas de cada Centro e Instituto;

·                                 Coordenação criativa e dinâmica que fortaleça o vínculo entre os Centros e Institutos da Rede.

 

Dos Centros e Institutos com a Rede

 

·                                 Encontros dos blocos de países próximos para discutir linhas comuns, sugestões de reforço da Rede e continuidade à reflexão do tema, ampliando o conhecimento dos Centros e Institutos que formam a Rede;

·                                 Conhecimento da Rede a partir de sua história, possibilidades reais e limites;

·                                 Cuidado com a animação, divulgação, informações, história e visibilidade da Rede em cada Centro e Instituto, nas Conferências Episcopais, em outras organizações juvenis e nas Pastorais da Juventude.

 

6. ENCONTROS DA REDE LATINO-AMERICANA DE CENTROS E INSTITUTOS DE PASTORAL DA JUVENTUDE

Os encontros da Rede acontecem a cada dois anos e são sediados por um Centro ou Instituto que pertence à Rede e assume as despesas de hospedagem, alimentação e infra-estrutura. Cabe à Coordenação encaminhar a reflexão, metodologia e assessoria do tema proposto, além das reflexões próprias da Rede. Cada Centro e Instituto pode participar com dois representantes e assume suas despesas de viagem para o encontro. O Instituto que sedia o encontro poderá participar com mais de dois representantes.

 

1º encontro: 1991

Local: São Paulo, Brasil

Tema: A integração entre os Institutos: a realidade latino-americana e problemas de interesses comuns

 

2º encontro: 1993

Local: Santiago, Chile

Tema: A cultura juvenil e a formação de assessores

 

3º encontro: 1995

Local: Cidade do México, México

Tema: Aprofundamento de duas experiências: Seminário de planejamento pastoral da Casa da Juventude de Bogotá e Projeto de Centros Juvenis de Bairro do CEJUV, do México

 

4º encontro: 1997

Local: Lima, Peru

Tema: Fundamentos da metodologia da Pastoral da Juventude

 

5º encontro: 1999

Local: Cupertino, EUA

Tema: Fé e culturas juvenis

 

6º encontro: 2001

Local: São Paulo, Brasil

Tema: O emotivo, o simbólico e o espiritual numa Pastoral da Juventude transformadora

 

7º encontro: 2003

Local: Los Teques, Venezuela

Tema: O projeto de vida no contexto da juventude empobrecida da América Latina

Lema: “Que mais tenho que fazer?” (Mt 20,19)

 

O 8º encontro acontecerá de 23 a 28 de setembro de 2005, na Argentina, sediado pelo Instituto Paulo VI. O tema será O acompanhamento do processo de amadurecimento na fé do jovem no contexto da realidade latino-americana, com o lema Dá-me de beber (Jo 4,7). A coordenação ficará a cargo do Instituto Cardeal Pirônio, do Uruguai, e do Instituto Paulo VI, da Argentina.

 

7. RELAÇÃO DA REDE COM A PASTORAL DA JUVENTUDE LATINO-AMERICANA/CELAM

 

A Pastoral da Juventude Latino-americana/CELAM realiza seus encontros a cada dois anos e a Rede Latino-americana de Centros e Institutos de Pastoral da Juventude é convidada a se fazer presente, contribuindo com a reflexão a partir da sua experiência de Centro e Instituto e dando a conhecer à PJ Latino-americana a identidade e função da Rede Latino-americana. São dois os representantes da Rede no encontro, um/a escolhido pela Rede Latino-americana e outro/a pela Rede Brasileira, ambos indicados a partir dos seguintes critérios:

·                                 Ter participado de pelo menos um Encontro Latino-americano da Rede de Centros e Institutos de Pastoral da Juventude;

·                                 Ter experiência de trabalho com a Pastoral da Juventude;

·                                 Conhecer e ter condições de contribuir com o tema do encontro, bem como de garantir o repasse deste para os demais integrantes da Rede.

 

As despesas de participação dos representantes da Rede são custeadas da seguinte forma: 50% pelo caixa comum da Rede e 50% pelo Centro ou Instituto ao qual o/a representante pertence.

 

8. CRITÉRIOS PARA PERTENCER À REDE LATINO-AMERICANA DE CENTROS E INSTITUTOS DE PASTORAL DA JUVENTUDE

·                                 Assumir a opção pela juventude empobrecida, oferecendo um serviço à formação, articulação e organização dos/as jovens das Pastorais da Juventude;

·                                 Atuar em nível diocesano e/ou regional, e não no espaço de congregação e/ou colégio;

·                                 Garantir equipe, tempo e espaço para a reflexão de temas nacionais relacionados à juventude, principalmente aos jovens da Pastoral da Juventude;

·                                 Elaborar subsídios;

·                                 Ser apresentado à Rede por outro Centro ou Instituto integrante ou via carta de solicitação ao Instituto que estiver coordenando.

 

9. COORDENAÇÃO DA REDE LATINO-AMERICANA DE CENTROS E INSTITUTOS DE PASTORAL DA JUVENTUDE (Tirar chave])

A Rede será coordenada por um Instituto escolhido no Encontro Latino-Americano de Centros e Institutos de Pastoral da Juventude, que assumirá esta função até o encontro seguinte.

 

10. COMUNICAÇÃO DA REDE

Boletim

 

Desde a sua criação, a Rede optou por manter um boletim como instrumento de partilha das suas experiências de atuação. Este boletim é elaborado considerando:

§         Pauta estabelecida a partir do tema do encontro, das questões levantadas pela Coordenação da Rede e das contribuições de cada Centro e Instituto;

§         Periodicidade semestral;

§         Compromisso de cada Centro e Instituto com o envio de informações para o Boletim.

 

Página na Internet

 

A partir do 7º Encontro da Rede Latino-americana, em 2003, foi criada uma página da Rede na internet, que terá as seguintes funções:

§         Dar a conhecer as experiências de cada Centro e Instituto, a partir de notícias, textos, fotos, reflexões, bate-papos...

§         Ter link de cada Centro e Instituto e do CELAM;

§         Disponibilizar banco de dados de pesquisas sobre juventude, a partir de cada Centro e Instituto.

O Centro de Pastoral Juvenil – CEMPAJ –, da Venezuela, será responsável pela página até o encontro da Rede na Argentina, em 2005, e também por manter um boletim informativo mensal enviado por e-mail.

 

11. CONTRIBUIÇÃO FINANCEIRA

 

Cada Centro e Instituto contribui com U$ 50 (Cinqüenta dólares) por ano, que constituem um caixa comum que é destinado a cobrir as seguintes despesas:

§         Manutenção da comunicação (boletim e página na web);

§         Despesas da Coordenação da Rede para viagens e reuniões de preparação dos encontros da Rede;

§         50% das despesas de participação dos/as representantes da Rede no ELARPJ.

O caixa comum será administrado pelo Instituto responsável pela comunicação no biênio e pela Coordenação da Rede. Cabe a estes recolher anualmente a contribuição dos Centros e Institutos e fazer a prestação de contas à Rede.

 

12. CENTROS E INSTITUTOS PERTENCENTES À REDE LATINO-AMERICANA

 

ARGENTINA

Instituto Cardeal Pirônio

 

BRASIL

Aiaká – Manaus/AM

Anchietanum – São Paulo/SP

Casa da Juventude Pe. Burnier – CAJU – Goiânia/GO

Centro de Capacitação da Juventude – CCJ – São Paulo/SP

Centro Marista de Pastoral – CMP – Montes Claros/MG

Centro Santa Fé – São Paulo/SP

Instituto de Formação Juvenil – IFJ – São Luís/MA

Instituto de Pastoral da Juventude – IPJ Leste II – Belo Horizonte/MG

Instituto de Pastoral da Juventude – IJP – Porto Alegre/RS

 

CHILE

Instituto Superior de Pastoral de Juventude – ISPAJ

 

COLÔMBIA

Casa da Juventude

 

EL SALVADOR

Serviço à Juventude – SEJUVE

 

ESTADOS UNIDOS

Instituto Fé e Vida

 

MÉXICO

SERAJ

 

PERU

Instituto de Pastoral e Desenvolvimento Juvenil – IPADEJ

 

URUGUAI

Instituto Paulo VI

 

VENEZUELA

Centro Marista de Pastoral Juvenil – CEMPAJ

 

Documento elaborado por:

Casa da Juventude Pe. Burnier, Goiânia – Lourival Rodrigues da Silva

Centro Marista de Pastoral, Montes Claros – Eder D’Artagnan F. Guimarães

Comments